A maldição da camisa 9

Marcos Denner comemora seu gol contra o Santo André. Foto: Diário do Grande ABC

Enfim, será que chegou ao fim a maldição da camisa 9 Xavante?

Por incrível que pareça, desde 2004 quando Silvano fez uma boa dupla com Claudio Milar, a camisa 9 do G.E.Brasil não teve um dono que desse a ela a grandiosidade que já teve nas mãos de Bira, Gilson Cabeção e Badico, por exemplo. Muitos a utilizaram, mas não deram certo. Passaram pelo Brasil nomes como Alê Menezes, Zulu, Nicolas, Sharlei, Marcelo Régis, Vanderlei e outros, mas nenhum deles conseguiu ser aquele centroavante que a torcida queria.

Para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série C desse ano a direção do clube trouxe Marcos Denner. Jogador conhecido nosso por passagens no Caxias e Criciúma nos últimos anos. É o típico camisa 9. Em Santo André, clube onde ele já jogou, a torcida da casa comentava que ele não é mais o mesmo. Isso é óbvio, vários anos se passaram desde que ele jogou lá. As suas características mudaram. Porém o faro para o gol segue o mesmo. Eu aposto muito nele, sempre achei um grande matador. E na partida em Santo André ele teve duas chances apenas. A primeira ele chutou longe do gol e a segunda ele guardou. Marcos Denner é assim, a cada três chances, uma ele faz. Em Santo André ele foi pouco acionado, as bolas vinham mais em ligações diretas da defesa,  e mesmo assim ele fazia com que a bola colasse no pé dele. Um domínio de bola típico de craque. Distribuia as bolas para as laterais e corria pra área. Com o entrosamento do time acredito que ele vai ser muito mais acionado durante os jogos e assim marcando muito mais gols.

Se tem algum centroavante que pode acabar com essa maldição é ele, Marcos Denner. E eu aposto todas minhas nele.









Comentar

Nossos parceiros

?>