Seja Xavante, participe!

Eu não chego a ser um perfeccionista. Na verdade, nem passo perto de sê-lo. Mas alguns detalhes me chamam a atenção e, se não estão como eu gostaria, me incomodam. Acho que está mais para mania do que para perfeccionismo. Coisa de velho? Pode ser.

A comunicação está entre estas coisas as quais presto atenção. Tanto como transmissor, quanto como receptor. Quanto mais simples, clara e direta uma comunicação for feita, melhor. Não há contraindicação. Em qualquer atividade, poupam-se muitos recursos (tempo, gente, dinheiro, …) se a comunicação for feita de forma correta.

Nos projetos que participo, invisto bom tempo explicando para o grupo tudo que evolve o projeto. Desde os motivos que levaram a sua realização, até os detalhes do escopo, seus objetivos, metas, atividades, riscos, impactos, etc. Acho importante que cada integrante da equipe tenha uma visão do todo, de forma bem detalhada, e não apenas da parte da qual participa diretamente.

Considero isto importante porque em um projeto qualquer todos os envolvidos são participantes. Não existe espectador. Acho fundamental que cada um entenda bem o seu papel e importância para o atingimento dos objetivos e metas definidos.

Isto posto, vou dizer o que tem me incomodado. Muitas vezes escuto Torcedores (está com letra maiúscula porque tratam-se de Xavantes) dizendo que são sócios, vão a jogos, compram rifas, adquirem convites para jantares e tudo mais para “ajudar” o GEB. Até em alguns comunicados oficiais é colocado desta forma, “ajuda”. Errado! Muito errado. Ajudar é socorrer, auxiliar, prestar algum auxílio a quem está precisando.

Partindo do princípio que um clube é composto por seus associados, que livremente uniram-se em decorrência de algo em comum(ideias, propostas, opiniões, etc.), não vejo como estes integrantes podem ajudar o clube, visto que este é, em última análise, eles mesmos. Isto é, o clube é a materialização da união daqueles que o compõe, os sócios. Como não ajuda-se a si mesmo, mas a um outro, não tem como ajudar o clube. Assim, a meu ver, o verbo correto a ser empregado seria “participar”.

Nós, Torcedores Xavantes, não ajudamos o GEB, mas participamos da sua construção, da sua evolução e engrandecimento. Cada um de nós, de alguma forma, é parte integrante e, portanto, responsável, pelo que o GEB é hoje e o que poderá vir a ser no futuro. Não somos espectadores, somos atores, integrantes, agentes de mudança. O GEB é, e será, do tamanho que quisermos que ele seja. O GEB é reflexo do que nós, Torcedores Xavantes, somos e seremos como grupo.

Nós, Torcedores Xavantes, não ajudamos o GEB, mas participamos da sua construção, da sua evolução e engrandecimento.

Há alguns dias foi noticiado que o Conselho de Administração, a Diretoria e alguns grupos organizados de Torcedores como a Associação Cresce, Xavante! e a União Xavante, apresentaram alguns projetos para significativa, importante e desejada melhoria na estrutura física do clube. É de conhecimento até dos batráquios que habitam o Canal do Pepino, que se desejarmos ter um time a altura dos nossos sonhos, temos que crescer como clube, temos que crescer como grupo, temos que crescer como indivíduos. O GEB é consequência do que somos e seremos. Ação e reação.

Vamos crescer? Queremos ser mais e melhor? Então, a data é hoje e a hora é esta. Estamos em um momento de decisão sobre o que queremos para nós mesmos, como Torcedores Xavantes. Se a resposta for positiva, “Sim, queremos crescer!”, então a nossa participação, e não ajuda, faz-se necessária.

Seja Xavante, participe!

Abs.


Ivan Schuster
Onda Xavante









Comentar

Nossos parceiros

?>