#imaginadepoisdacopa

Já faz um bom tempo que a hashtag #imaginanacopa vem fazendo sucesso na internet e em qualquer conversa de botequim. Trânsito ruim, cerveja quente, fila na padaria, visita da sogra, assalto no sinal, tudo ficará pior na Copa. Pelo anunciado, será a consumação do apocalipse. Está tudo lá, nas escrituras. Arrependei-vos enquanto é tempo.

 Eu, um simples pecador, trabalhador e pagador de impostos, sou partidário da tese de que ao final da Copa tudo estará como está e será como o é. Não vejo a menor hipótese de meia dúzia de partidas de futebol, se tanto, mexerem com uma cidade do tamanho de Porto Alegre, por exemplo, ou até maiores como o Rio de Janeiro ou São Paulo. Jogo com estádio lotado não é novidade no Brasil. Inclusive frequentemente temos partidas que envolvem rivalidades exacerbadas, como a de um Gre-Nal, Fla-Flu ou Corinthians x Palmeiras. Jogos importantes e decisivos, com estádio cheio e muita tensão, já aconteceram e nem foram em estádio padrão FIFA. Não tinha viaduto novo, nem ônibus rápido em pista exclusiva. A Copa vai acontecer, vão ter algumas manifestações contra alguma coisa, uma seleção fatalmente será a campeã, a FIFA vai encher a burra e a vida seguirá em frente. Daqui há alguns meses, talvez anos, as obras da Copa ficarão prontas. Tudo a seu tempo.

 Obviamente, a nossa imparcial, nacionalista e eficiente imprensa brasileira estará atenta a qualquer coisa que não estiver no padrão FIFA. Ônibus cheio após o jogo? Vai render 45 min no JN. Como se em Londres, Munique ou Nova Iorque todos os passageiros de transporte público urbano viajassem sentados confortavelmente. Perguntem a quem já teve que andar no metrô de Londres no horário do pique no verão. Indaguem sobre a lotação e o “aroma”. Além da Copa, este ano teremos eleições presidenciais. O que não justifica, mas explica.

 Mas o assunto aqui é futebol. Mais que futebol, é o GEB. E este período sem nenhuminha apresentação do Esquadrão Xavante é de doer. Irrita, sufoca, deprime, causa ansiedade e desconforto. Certamente até a Copa terminar só vai piorar. Socorro! Penso em ir para o Uruguai relaxar.

 Pois foi pensando no bem-estar da Nação Xavante, que a Onda Xavante – Região Metropolitana de Porto Alegre/RS, através de uma ação inédita e criativa da Diretoria de Marketing, Propaganda, Divulgação, Anúncios e Promoção, lançou a campanha #imaginadepoisdacopa.

 Sim, companheiros, depois da Copa teremos o início do Campeonato Brasileiro – Série D 2014, do qual participaremos com muita garra e vontade rumo a conquista de uma das vagas para a Série C 2015. Vaga esta que, diga-se de passagem, nos foi surrupiada.

Mas o assunto aqui é futebol. Mais que futebol, é o GEB. E este período sem nenhuminha apresentação do Esquadrão Xavante é de doer. Irrita, sufoca, deprime, causa ansiedade e desconforto. Certamente até a Copa terminar só vai piorar. Socorro! Penso em ir para o Uruguai relaxar.

Em julho, logo depois da Copa, vai dar para matar a saudade do pré-show, em algum lugar da Princesa Isabel e cercanias, com o reencontro de velhos amigos, o encontro de novos amigos, a cerveja, o churrasquinho, a conversa sem futuro, a chegada da delegação e todo aquele ritual entendido apenas por quem tem sentimento, por quem gosta da vida, e que nos torna cada vez mais humanos. A enorme satisfação de poder voltar ao Bento Freitas, o teatro mágico que se transforma em terreno de batalhas, em palco de sonhos, em Caldeirão de almas ferventes de paixão. É nós na geral.

 Imagina só. Tudo isto depois da Copa.

 @GEBrasilOficial na Série C 2015! #imaginadepoisdacopa

 Abs.


Ivan Schuster
Onda Xavante









1 Comentário

    Comentar

    Nossos parceiros

    ?>