É fogo

O amor, assim como a tristeza, a saudade e outros sentimentos, é difícil de comparar, medir. Paixão é mais fácil de entender, pois são todas iguais. Paixão é euforia, exuberância, labareda. É como acender o fogo para um churrasco. Rega-se o carvão com meio litro de álcool e atira-se o fósforo aceso em cima. A explosão e o fogaréu inicial são a paixão. Fácil de perceber e bonito de se admirar. Pouco esforço, muito sucesso, mas por tempo limitado e curto. Difícil é manter o fogo depois do álcool consumido. Esse é o amor.

Assim como o fogo, o amor requer atenção e cuidado. Caso contrário, extinguisse. E para cada caso, há um fogo diferente, com intensidade diferente. Quanto maior a atenção, melhor a qualidade. A paixão é para todos. A arte de amar é somente para os mestres. É preciso observação, resiliência, devoção e um certo sacrifício. Não há amor sem entrega, sem concessão e sem atenção. Amar é um ato contínuo de dedicação.

Não, meu relacionamento afetivo não está em crise e nem estou experimentando o mercado de aconselhamento sentimental. Tampouco estou escrevendo para a revista Contigo. O fato é que eu estava aqui pensando em antigas discussões no Fórum Xavante (http://www.forumxavante.com), onde volta e meia alguém acusava outro alguém de querer ser mais Xavante que ele. No fim, chegava a turma do deixa disso para amainar os ânimos e sentenciava que ninguém era mais Xavante que ninguém. Em se tratando de GEB, eram todos iguais perante Eros, o Deus do Amor

Pois tenho cá minhas dúvidas. Não saberia dizer como medir, nem ao menos dizer quem ama mais, mas parece-me que, ao menos, alguns são mais fiéis que outros, se dedicam mais, dão mais atenção ao seu amor que outros. Já ouvi alguém dizer que torcer pelo Brasil é fácil. É difícil ficar indiferente vendo a Maior e Mais Fiel fazendo a festa durante uma apresentação do nosso esquadrão de guerreiros. Já ser Xavante requer algo mais. Não basta paixão, é preciso amor.

Hoje fui dar uma nova bisolhada em como anda a arrecadação para a finalização do filme sobre o GEB, Brasil Grande do Sul, produzido pelo pessoal da Bah! Produções (http://www.kickante.com.br/campanhas/brasil-grande-do-sul). Me caiu os butiás do bolso. Nem a metade do valor necessário foi arrecadado. É pouco, muito pouco. Decepcionante, para não dizer broxante. E não me venham com a conversa mole de que não teve tempo, que é difícil contribuir, que não houve divulgação e todas aquelas desculpas para boi dormir à sombra. Merreca.

Será que entre todos os que se dizem Xavantes até a raiz de seus cabelos, que fazem juras de amor eterno, não temos 4.000 almas agraciadas dispostas a contribuírem com ao menos R$ 10,00? Dez pilas! Mal paga uma cerveja no boteco. É duro de aceitar isto. Se nós, a Maior e Mais Fiel do Interior do RS, não conseguimos fazer esta arrecadação, o que dirá dos demais? É melhor parar com o futebol Gaúcho e começarmos a torcer para o Chelsea, que tem dono que paga as contas.

Não entendo como alguém pode se dizer Xavante, que o GEB é tudo na vida dele(a), que morreria pelo GEB, mas não é sócio, não apóia nos momentos difíceis, não contribui com as promoções, não participa dos eventos, isto é, não participa da vida do clube.

Em termos de amor, é importante que se dê atenção à pessoa amada, pois, assim como o fogo, o amor descuidado perde intensidade e esvai-se. E nunca faltará alguém para atiçar o fogo por ti desprezado.

Abs.









Comentar

Nossos parceiros

?>