Tabu Quebrado!

O GEB apresentou-se – o Xavante não joga, apresenta-se – em grande estilo na tarde de ontem. Jogou muito. Aliás, vem jogando muito já há algum tempo. Repito o que já disse em outras oportunidades, é o nosso melhor time dos últimos muitos anos. E não é porque tem um craque ou dois, mas porque tem conjunto.

 

Já é chover no molhado dizer que futebol é um esporte coletivo, mas poucos são os times brasileiros que realmente praticam um futebol coletivo, onde cada um sabe o que deve ser feito e qual a sua importância para o grupo. A história relata – na verdade, não li em nenhum livro de história, mas assisti no filme 300 – que o exército espartano enfrentava seus inimigos lutando como uma unidade, onde cada guerreiro protegia com o escudo o seu colega à esquerda. Formavam uma barreira quase intransponível. Isto é comprometimento, confiança e união. Guardada as devidas proporções, assim tem se apresentado o time Xavante.

 

Sufocamos o adversário, controlamos a partida, vencemos, assumimos a liderança e de lambuja quebramos um tabu que já persistia há anos. Finalmente, um time de Pelotas, jogando na Boca do Lobo, venceu uma partida em um campeonato brasileiro. Aleluia, irmãos! Arrependei-vos enquanto é tempo. Depois mandamos a conta. Chora secador! Que fase!

 

E falando em Boca do Lobo, estou impressionado e indignado com os órgão municipais, estaduais, federais, a FGF, a CBF e a FIFA com o fato de permitirem que o estádio do co-irmão seja utilizado para espetáculos com grande público. É fato que a arquibancada tem 32 degraus (ou seriam 32, 34, 24, 33,5?) de concreto, um luxo, mas disponibilizar um quartinho sujo, fedido, sem acabamento, mal iluminado, com um, eu disse UM, vaso sanitário como sendo o banheiro para 4.000 pessoas chega a ser ofensivo. Fico imaginando o banheiro feminino, meldeuz! Tem que tomar um Dramin para conseguir entrar. Imundice padrão FIFA!

 

Mais, para sair da arquibancada é necessário passar por um brete com uns 2m de largura, onde as pessoas precisam se espremer para passar. Fico imaginando o que acontecerá em caso de necessidade de evacuação rápida. Nos dois casos, o do banheiro e o da saída. Tragédia certa!

 

Chamam isto de segurança, saúde, higiene? Onde estão as autoridades competentes que não viram isto ao liberarem o estádio? Onde está a imprensa esportiva que não levanta estas questões? Não viram, não sabem, não querem saber? Estão esperando que aconteça uma tragédia para daí irem buscar culpados? Certo é que não precisa ser um especialista para ver que está errado, muito errado. Fica o registro.

 

Felizmente, Xavante tem o corpo fechado. Como somos uma Torcida ordeira, mais preocupada em torcer, motivar o time e, ao final, cantar e dançar de felicidade e em agradecimento por ter nascido Xavante, e não ficar brigando entre si e batendo em diretor, tudo correu bem. Grande dia.

 

Agora teremos dois Bra-Pel na sequência para dar prosseguimento a Copa Fernandão. Sinceridade? Eu colocaria um time misto, reserva ou até mesmo um sub qualquer coisa. Não dá para arriscar a integridade dos nossos atletas. Não é desmerecimento. É medo mesmo. O time do co-irmão está no desespero. Para eles, nos desclassificar nesta competição é salvar o pouco de lhes resta de dignidade. 2014 certamente é um ano que tentarão esquecer. O risco, para nós, é grande. Se já perderam o controle na última partida, imagina como se comportarão em um clássico desta importância? A vida é dura, companheiro.

 

Para nós, o importante será lotar o Bento Mendes de Freitas para levar o nosso apoio e mostrar o nosso reconhecimento pela excelente temporada que este time de bravos guerreiros vem fazendo. É bom ser Xavante!

 


Ivan Schuster
Onda Xavante

 

 

 

 









Comentar

Nossos parceiros

?>