Rubro-negro vem aí!

Agora falta pouco. Uma semana mais e nossas angústias e aflições serão amenizadas, ou não. Estamos perto do fim da pré-temporada. Entendo que os profissionais que fazem parte de um clube de futebol merecem e precisam de férias, bem como a pré-temporada é importantíssima para o time. Mas, para nós, meros torcedores mortais, é duro este período. Haja unha para roer. Na verdade, já nem tenho mais assunto para conversar.

Este ano a pré-temporada foi um pouco melhor. O plantel foi mantido, o que diminui as especulações, expectativas e dúvidas quanto ao rendimento futuro da equipe. Eu disse diminui, não termina. Sim, porque esta aflição toda sobre como os nossos guerreiros se comportarão em campo sempre existe. É normal do torcedor. Torcedor, antes de mais nada, é ansioso e aflito em relação ao seu time. Eu sou.

É chover no molhado falar sobre as vantagens de termos mantido o grupo, do padrão de jogo, do entrosamento, e todo aquele blá-blá-blá que é falado em cada texto, comentário ou entrevista a respeito do esquadrão Xavante. Tudo verdade e passível de elogios, mas já deu. Agora eu quero ver é o time em campo, lutando forte e com qualidade para vencermos os adversários. Hora de passar da teoria à prática. Continuar avançando é preciso.

O GEB cresceu como clube e time. Fato. Mas se não seguir suando a camiseta, tudo vai para o ralo. Nada está garantido. Nunca estará. A equação é simples, ou vencemos ou perdemos. Eu quero vencer. O São Luis de Ijuí/RS foi Campeão do Interior em um ano e no ano seguinte foi rebaixado. Ouvi falar sobre um time que venceu a dupla gre-nal, almejava ser atração esportiva na Europa(ah tá…), gabava-se de poder comprar fardamento de grife com desconto, dizia-se campeão de tudo(sic) e hoje chafurda no lodo. Leva cano de perna-de-pau e até de ex-jogador. Utiliza-se de recursos como salto alto e maquiagem extravagante para aparecer. Aparece, mas como piada. É duro, mas é a vida. Não basta falar, tem que fazer. Saudações Xavantes. Pode chorar agora.

Futebol é difícil e imprevisível. Este, talvez, seja o maior motivo para atrair a atenção de tantas pessoas. Não tem “favoritaço”. Vence quem fizer mais gol. E nem sempre faz mais gol quem é melhor. Eu entendo que quatro equipes lutarão pelo título do interior. O GEB, Caxias, o Novo Hamburgo e o Lajeadense. Se eles possuem dinheiro, nós temos Torcida. “Casualmente” enfrentaremos todos longe do Caldeirão, mas sabemos que o GEB nunca se apresenta sozinho. São Paulo e São José devem lutar desesperadamente para não cair. Juventude é uma incógnita. Devem estar fazendo promessas aos deuses do futebol.

A jornada será difícil. Precisamos de calma e convicção. Pode ser que os resultados não venham em um primeiro momento(toc-toc-toc), mas não podemos nos desesperar e querer trocar tudo e todos. É preciso entender que o tempo de desespero e improvisação passou. Temos um bom grupo, com uma excelente comissão técnica e uma Torcida capaz de empurrar o time para frente. Se começar errado, logo ali acerta. Calma e convicção. Devagar e sempre. Desesperados e nervosos devem estar os que não conseguem contratar ninguém, os que jogam futebol praiano ou os que se anunciam para venda e não aparece comprador. Somos pobres, mas somos limpinhos.

A nossa apresentação de estréia na temporada 2015 será frente a um adversário já conhecido. Vamos enfrentar os polenta na casa deles (ou será que a casa ficou no nome do ex?). Ao meu ver, é hoje o nosso maior adversário, seja pela história recente, seja pelo que virá pela frente. Uma vitória seria muito importante. É daquelas que se diz ser de 6 pontos. Lembrei do Milar.

Por entrar em férias hoje, retornando apenas no dia 9, estarei ausente a esta apresentação. Mas não farei falta. Já hoje, 7 dias antes, há mais de 20 excursões confirmadas. O Trem Pagador vai invadir o Centenário. Arreda que estamos chegando. Somos A Maior e Mais Fiel do Interior do RS. Aceitem que dói menos. Rubro-negro vem aí, e o bicho vai pegar.

Abs.


Ivan Schuster
Onda Xavante

 

 

 

 

 









Comentar

Nossos parceiros

?>