#chorapolenteiro

Ganhar dos polenta já não é mais novidade. São nossos filhotes há muito tempo. Assim como não é novidade a recepção pouco amigável em Caxias do Sul dispensada para a Maior e Mais Fiel do Interior do RS. Já que a Solange Grená é composta por uma meia dúzia de mandinhos (essa é do meu tempo), mais parecendo a Turma da Xuxa do que uma torcida de futebol, e não conseguem nos abafar na festa e na alegria, tentam nos agredir, atiram pedras, provocam e no fim … choram! Não devia ser assim, afinal de contas o Trem Pagador começou a viajar, distribuindo recursos. Aproveitem a grana e paguem as contas, já que não estão conseguindo um dono que o faça. A vida é dura, companheiro.

O que era esperado aconteceu. Mais uma vez o sr. Alex Brasil – bem que poderia trocar este sobrenome, pois não é digno dele – aprontou. Para quem defendia que na apresentação do GEB frente ao Londrina este senhor teria tido apenas um descontrole emocional, fruto de acachapante e vergonhosa derrota, ficou provado que ele age de forma pensada mesmo. Usou do mesmo expediente. Chama seus jogadores para o vestiário e manda uma gangue arrumar confusão. Deu no que deu. E agora TJD, CBF e FGF, o que irão fazer? Nos punir novamente e deixar este indivíduo  desqualificado mais uma vez livre? Não duvido, são o que são e sabemos o que são. Diz o ditado: de onde menos se espera, daí mesmo que não sai nada. Respeito não se exige, conquista-se. Façam por merecer.

O senhor Alex talvez se ache esperto, valentão e com um raciocínio apurado e extremamente estratégico. Na verdade, é um nada, um verme, um parasita. É burro, covarde e sem espírito esportivo. Aliás, espírito esportivo, parece-me, seria fundamental na sua posição. Falta-lhe, e muito. Cresça e apareça. Aconselho-lhe um pouco mais de estudo, trabalho e educação. Tipo assim, valores morais. Coisa de homem. É, também acho, vai ser difícil. Falta-lhe capacidade para esta empreitada. Então, aproveita e chora. Bastante, porque perdeu de novo. Mané!

Já dentro de campo, o de sempre. Um Xavante com apresentação coesa, tática, de forte marcação e com finalização precisa. Quem sou eu para contestar o RZ, mas esta estratégia de fechar o time no final do espetáculo, trazendo o adversário para cima, ainda vai me matar. Por favor, não faz assim com este pobre e velho coração sofrido. Cirilo é rei. Protege, decide e, agora, faz assistência. Sou fã dele.

Do adversário, o choro contumaz: “Jogada de bola parada”, “Tivemos mais posse de bola”, “Aproveitaram um descuido nosso”, “Sabíamos do jogo deles” e bla-bla-blá, bua-bua-buá. Bueno, questão de competência. Fazer o que? Treinem mais, esforcem-se mais, joguem mais. Ganhamos, mais uma vez, dentro de campo, contra tudo e todos. Façam mais e chorem menos.

E o Leandro Vuaden? Ah, Leandro Vuaden, que é isto companheiro? Árbitro FIFA, com expressão nacional- internacional ainda falta muito – não deveria fazer este tipo de coisa. Que feio! Qual o problema com o Xavante? É hora de procurar um analista e tentar uma terapia. O sofrimento deve ser grande. Cartão amarelo para o goleiro já no primeiro tempo, expulsão de atleta substituído, expulsão do treinador por gesticular e dar instruções aos seus comandados, …? Mas é contra o GEB, né? Clube pequeno, sem influência política, sem dinheiro, clube feito pelos e para seus Torcedores. Quero ver fazer isto contra os bacanas. Quem sabe expulsar o Felipão quando ele gesticular e reclamar? Não vai terminar um único jogo. E, por favor, não esquece de relatar a pedra atirada no campo de jogo e as agressões que sofremos. Estamos de olho.

Ao fim e ao cabo obtivemos um bom resultado na apresentação de estréia da temporada 2015. Agora é ficar se divertindo com o choro, explicações e “gol da Penapolense”.

 

Abs.


 

Ivan Schuster
Onda Xavante

 









Comentar

Nossos parceiros

?>