300 vezes Rogério Zimmermann

rzbx_002

Na tarde do próximo domingo, na partida contra o Tupi válida pela nona rodada do Campeonato Brasileiro da Série C 2015, o treinador Rogério Zimmermann completará 300 jogos pelo G.E.Brasil. Dessa forma ele se tornará o terceiro treinador que mais vezes treinou o Xavante. Galego, com 430 jogos, é o primeiro e Osvaldo Barbosa o segundo com 323 jogos.

Rogério chegou como um desconhecido ao clube lá em 2004, vindo do ECUS Suzano, de São Paulo. Pouco conhecido no RS, foi recebido com receio pela torcida do Brasil. Aos poucos foi mostrando o seu trabalho e conquistando a confiança da torcida. Com seu estilo turrão, era chamado de retranqueiro por parte da torcida e imprensa. Mas os números mostraram que isso era mentira. Em sua primeira passagem, de 2004 à 2006, foram marcados 235 gols e apenas 108 sofridos. Sua estreia foi em um amistoso contra a Ulbra, em Canoas, onde o Brasil venceu por 3 a 1, com gols de Joel, Marquinhos e Claudio Milar. Na sua primeira passagem, o seu maior feito foi tirar o Brasil do limbo da segunda divisão, onde o clube perdurava desde 1999. Após conseguir o acesso à primeira divisão, Rogério fez um bom Gauchão em 2005 e foi vice-campeão da Copa Emidio Perondi, perdendo para o Novo Hamburgo na final. Em 2006, após uma derrota por 2 a 1 para o Novo Hamburgo na Baixada, pelo Gauchão, o treinador encerrou a sua primeira passagem pelo clube. Foram 128 jogos com 70 vitória, 33 empates e 25 derrotas.

Após deixar o Brasil, Rogério treinou a Ulbra, Santa Cruz-RS, Pelotas, Cabense-PE e a Ulbra novamente, quando já se chamava Canoas. Ainda em 2006, o treinador classificou a Ulbra para a Série C do Campeonato Brasileiro. Na Cabense, de Pernambuco, Rogério levou o clube para a primeira divisão do estadual em 2008. No campeonato pernambucano de 2010 ele levou a pequena Cabense ao quinto lugar no campeonato. Em 2012 Rogério pegou o Canoas à caminho do rebaixamento, praticamente sem chances. Mas com uma campanha extraordinária ele levou o clube à fase final do segundo turno, livrando o clube do rebaixamento.

Enquanto Rogério fazia milagres em Canoas, o Brasil ia aos trancos e barrancos na divisão de acesso de 2012. Luizinho Vieira, mesmo líder da competição na primeira fase, foi demitido. Para o seu lugar a direção trouxe Marcelo Rospide, que era treinador do Guarani-VA, um dos lanternas da competição. Aí a coisa desandou de vez. Então o Brasil foi atrás de Rogério Zimmermann para a sua segunda passagem pelo clube. Santa decisão. Rogério fez sua estreia no dia 23 de maio contra o Passo Fundo, fora de casa, com derrota por 2 a 1. Rogério precisaria de um novo milagre para levar o Brasil ao acesso. E ele quase conseguiu. Porém o Brasil ficou de fora mais um ano. Iria para o seu quarto ano na famigerada segundona. O Brasil ainda foi vice-campeão da Copa Hélio Dourado, perdendo a final para o Juventude. Rogério seguiu no clube e a base foi mantida. Já no ano seguinte, todo o trabalho e planejamento deu resultado. O Brasil retornava à primeira divisão do Campeonato Gaúcho. Ali começava a santificação de Rogério Zimmermann.

O ano de 2014 tinha tudo para ser um ano regular, ano de se colocar a casa em dia e não cair de divisão novamente. Rogério seguia no comando da equipe e o time da segunda divisão era mantido quase em sua totalidade. Começou o Gauchão e o Brasil engrenou, não sabia o que era perder. O time de Rogério Zimmermann era o grande destaque da competição. Ao final do campeonato, Rogério era campeão do interior, classificando o Brasil para o Campeonato Brasileiro da série D. O ano de 2014 já fazia parte da história do clube, mas não parou por aí. Na Série D o Brasil seguiu com o mesmo ritmo do Gauchão, com bons jogos fora de casa e sendo fatal no Bento Freitas. Nas quartas de finais do campeonato foi para a decisão da vaga para a Série C contra o Brasiliense, em Brasília. Um dia histórico. O Brasil bateu o Brasiliense nos pênaltis e garantiu o acesso à Série C e a vaga nas semifinais do campeonato. Ao fim do jogo, Rogério pendurou-se na tela, abraçou a torcida e chorou como uma criança. Sabia que tinha realizado o seu trabalho com extrema maestria. Havia sido campeão do interior, classificou o clube para a Série C e para a Copa do Brasil de 2015. Poderia ir embora com a sensação de dever cumprido. Recebeu propostas de diversos clubes para treinar em 2015, mas as recusou. Os motivos não sabemos, mas o importante era que ele havia ficado. Junto com ele, aquela base da Divisão de Acesso de 2013 também seguia. Estava dando certo.

Veio 2015 e o sucesso no Gauchão se repetiu. Com direito a vitória em cima do Grêmio em Porto Alegre, o Brasil foi novamente campeão do interior e novamente garantiu vaga na Copa do Brasil. Rogério novamente foi assediado por clubes do país inteiro, mas seguiu seu trabalho no Bento Freitas. Pela Copa do Brasil, o Brasil enfrentou o Flamengo na Baixada e no Maracanã. Na Série C, o nível das atuações seguiram as mesmas que deram tanto certo nos últimos anos. Corriam pela boca pequena, boatos que Grêmio e outros clubes de Série A e B queriam o nosso comandante. Mas não passaram de boatos. Ufa!

Rogério Garcia Zimmermann chega aos seus 300 jogos no comando do G.E.Brasil no próximo dia 26 de julho de 2015, na partida contra o Tupi de Minas Gerais. O Brasil chega à nona rodada da Série C sem ter perdido nenhuma partida. É líder do seu grupo, tem o artilheiro e o melhor ataque da competição.

Rogério conquistou a torcida Xavante com o seu jeito inquieto e a sua forma intensa de trabalhar. Rogério respira futebol. É um estudioso e leva o seu trabalho muito à sério. Cobra dos seus jogadores o máximo empenho e a perfeição. Assim tem levado o G.E.Brasil a todas essas conquistas e entrou de vez para a história do clube.

Se o Brasil vai subir para a Série B do Campeonato Brasileiro nós não sabemos. Será duro. Se Rogério Zimmermann seguirá no Brasil em 2016 também não sabemos. Mas uma coisa é certa, devemos muito a esse homem. Obviamente os jogadores e a diretoria fazem parte de todo esse sucesso, mas sem o comando e convicção de Rogério Zimmermann o Brasil talvez não tivesse chegado tão longe. À ti Rogério, a grande torcida Xavante agradece, e seguirá agradecendo, por tudo o que tu fez por nós. Nos tirasse do inferno e nos desse motivos para sorrir novamente. És e sempre será o nosso comandante, independente do que aconteça no futuro. És o retranqueiro, ranzinza e teimoso mais querido do mundo.

Obrigado por tudo, Rogério.

DADOS DE ROGÉRIO ZIMMERMANN NO G.E.BRASIL

Rogério Garcia Zimmermann

Data de Nascimento: 06.10.1965
Naturalidade: Porto Alegre
Procedência: Esporte Clube União Suzano – ECUS (SP)
Período: 2004 à 2006, 2012 à …
Jogos: 299

GERAL

Jogos: 299
Vitórias: 155
Empates: 88
Derrotas: 56
Gols pró: 463
Gols contra: 226
Saldo de gols: 237

JOGOS EM CASA

Jogos: 150
Vitórias: 99
Empates: 35
Derrotas: 16
Gols pró: 286
Gols contra: 89
Saldo de gols: 197

JOGOS FORA

Jogos: 146
Vitórias: 55
Empates: 51
Derrotas: 40
Gols pró: 173
Gols contra: 135
Saldo de gols: 38

JOGOS EM CAMPO NEUTRO

Jogos: 3
Vitórias: 1
Empates: 2
Derrotas: 0
Gols pró: 4
Gols contra: 2
Saldo de gols: 2

PRIMEIRA PASSAGEM – 2004 à 2006

Jogos: 128
Vitórias: 70
Empates: 33
Derrotas: 25
Gols pró: 235
Gols contra: 108
Saldo de gols: 127

SEGUNDA PASSAGEM – 2012 até hoje

Jogos: 171
Vitórias: 85
Empates: 55
Derrotas: 31
Gols pró: 228
Gols contra: 118
Saldo de gols: 110

1ª Passagem – 2004 á 2006 – Primeiro Jogo – Amistoso

SPORT CLUB ULBRA 2 x 3 GRÊMIO ESPORTIVO BRASIL
Dia: 31.01.2004 (Sábado)
Horário: 16H30
Estádio: Campus Universitário
Cidade: Canoas (RS)
Gols: Joel (BRASIL), Marquinhos (BRASIL), Marcelo Fumaça (Ulbra), Cláudio Milar (BRASIL) e Marcelo Fumaça (Ulbra).

ULBRA: Rafael; Barão, Sidnei, Marcelo, Renato Tilão e Evaldo; Lauro, Sandro Paglariani e Mabília; Gustavo e Luíz Gustavo. Téc.: Armando Severo Dessessards.

BRASIL: Michel; Marquinhos, Aládio, Joel (Renato) e Fabinho; Careca (Jackson), Neuri, Alexandre Bochecha e Silvera (Marcos Tora); Cláudio Milar (Müller) e Silvano (Diego). Téc.: Rogério Garcia Zimmermann.

Último Jogo – Campeonato Gaúcho – 1ª Divisão – Série A

GRÊMIO ESPORTIVO BRASIL 1 x 2 ESPORTE CLUBE NOVO HAMBURGO

Dia: 22.01.2006 (Domingo)
Horário: 16H00
Estádio: BENTO Mendes de FREITAS (BAIXADA)
Cidade: Pelotas (RS)
Arbitragem: Ronaldo Santos da Silva, auxiliado por AltemirHaussman e José Javel da Silveira.
Gols: Giancarlo (Novo Hamburgo) aos 2’, João Paulo (BRASIL) aos 12’ e Giancarlo (Novo Hamburgo) aos 36’ do 2º Tempo.
Cartões Amarelos: Borges Neto, Alex Xavier, Rudi, Evaldo e Chiquinho (BRASIL).

BRASIL: Altieri; Borges Neto, Alex Xavier, Rudi e Evaldo (Gilmar); Careca, Paulinho, Guilherme (Clodoaldo) e Chiquinho (Reinaldo); Cláudio Milar e João Paulo. Téc.: Rogério Garcia Zimmermann.

NOVO HAMBURGO: Luciano; Dudú (Polaco), Marcelo, Dias, Sandro Blum e Edno; Pedro Ayub, Itaqui e Preto; Washington (Rafael Neto) e Giancarlo (Duda). Téc.: Gilmar Miguel Iser.

2ª Período – 2012 à 2014 – Primeiro Jogo – Campeonato Gaúcho – Divisão de Acesso

ESPORTE CLUBE PASSO FUNDO 2 x 1 GRÊMIO ESPORTIVO BRASIL

Dia: 23.05.2012 (Quarta-feira)
Horário: 20H00
Estádio: Vermelhão da Serra
Cidade: Passo Fundo (RS)
Arbitragem: André Cieslak, auxiliado por José Eduardo Calza e AlduínoMocelin.
Gols: Sandro Sotilli (Passo Fundo) aos 41’ do 1º Tempo, André Ribeiro (BRASIL) aos 20’ e Sandro Sotilli (Passo Fundo) aos 25’ do 2º Tempo.
Cartões Amarelos: Souza, Barão, Vágner, Gil e Guto (Passo Fundo), Rodrigo Dias, André Ribeiro, Leandro Leite e Wender (BRASIL).
Cartão Vermelho: Rodrigo Dias (BRASIL).

PASSO FUNDO: Souza; Barão, Vágner, Gláuber e Diego Konning; Marcos, Gil (Danilo), Diego Miranda e Da Silva (Fininho); Guto (Sertãozinho) e Sandro Sotilli. Téc.: José Ricardo Atolini.

BRASIL: Luíz Müller; Tiago Rannow, André Ribeiro, Uillian Nicoletti (William Koslovsky) e Galego; Rodrigo Dias, Leandro Leite, Alexandre (Wender) e Alex Goiano; Alex Amado e Gavião. Téc.: Rogério GarciaZimmermann.

CONQUISTAS

Campeonato Citadino (Campeão): 2004
Campeonato Gaúcho – Divisão de Acesso (Campeão): 2004 e 2013
Campeonato Interior (Campeão): 2014 e 2015
Campeonato Brasileiro – Série D (Acesso): 2014
Copa Emídio Odósio Perondi (Vice-Campeão): 2005
Copa Hélio Dourado (Vice-Campeão): 2012
Taça Fronteira (Campeão): 2012
Taça 49º Aniversário da Cidade de Sapiranga (Campeão): 2004
Taça 268º Aniversário da Cidade de Rio Grande (Vice-Campeão): 2005
Troféu 38º Aniversário Rádio Universidade Católica de Pelotas (Campeão): 2005

Obs.: Não estão computados os jogos treinos realizados nestes períodos.

Dados e estatísticas: Izan Muller da Silva, que sempre ajudou o Blog Xavante e a partir de agora terá o seu espaço no site na seção “Numeralha”.
Fotos: Carlos Insaurriaga









Nossos parceiros

?>