Jogo ruim, resultado ruim

Jogo ruim, resultado ruim
Por Marcelo Barboza

Fazendo a sua estreia no estádio Bento Freitas nessa temporada, o Brasil enfrentou o Cruzeiro-POA em partida válida pela segunda rodada do Gauchão 2017 e perdeu pelo placar de 1 a 0, gol de Lukão, aos 20 minutos do segundo tempo.

O JOGO

Como fez jogando em casa em toda a Série B no ano passado, o Brasil saiu em cima do Cruzeiro nos primeiros minutos. Com poucos minutos de jogo o Brasil já havia criado duas boas chances de gols com Aloísio em cobrança de falta e uma cabeçada de Bruno Lopes. Porém o Cruzeiro soube amenizar a volúpia Xavante e equilibrou o jogo, criando boas oportunidades de abrir o placar ainda na primeira etapa. O jogo foi para o intervalo muito igual mas sem gols.

Na segunda etapa o Brasil esqueceu o futebol no vestiário. Nada deu certo dali em diante. E o Cruzeiro soube aproveitar o mau momento rubro-negro. Aos 13 minutos Tiago Alagoano quase abriu o placar depois de sair cara a cara com Eduardo Martini e chutar para fora. Mas aos 20 minutos veio o gol. Em bela cobrança de falta de Lukão, a bola foi na gaveta de Eduardo Martini que nada pode fazer. Com o placar favorável, o Cruzeiro jogou com o desespero do Brasil ao seu favor e cozinhou o jogo. O Brasil tentava o gol de empate mas sem organização e qualidade. Assim a partida se arrastou até o apito final e com vitória para o Cruzeiro.

Com a derrota, o Brasil é o penúltimo na tabela de classificação com apenas 1 ponto. A próxima partida será na sexta-feira, contra o Veranópolis fora de casa, às 21:30h. Partida transmitida pelo canal Premiere.

ANÁLISE DA PARTIDA

O jogo foi feio. Muito feio. Tanto pelo lado do Brasil quanto do Cruzeiro. O Brasil ainda sem muito entrosamento, abusa dos bagos da defesa para o ataque e das jogadas aéreas. Soluções pouco eficientes nos últimos jogos. Mesmo agora tendo o Nem no meio de campo, com uma qualidade de passe melhor, a bola segue passando da defesa para o ataque pelo alto em grande parte do jogo. Não sabemos se por ordem do treinador ou opção dos zagueiros. O meio de campo ganhou qualidade nessas novas contratações que vieram para a temporada desse ano. Além de Nem, Lenilson e Aloísio já mostraram qualidade com a bola nos pés. Talvez o maior problemas seja a bola chegar no pé deles. Na frente, Bruno Lopes tentou se virar contra os altos zagueiros do Cruzeiro, mas só em bola dividida, levou a pior na maioria das jogadas.

O bom de ver foi o meia Aloísio. Que qualidade esse nosso camisa 10 possui. Ele precisa participar mais do jogo, tem muita bola pra jogar. Jogador técnico e com pensamento rápido. Pode ser que com o tempo ele entrose melhor com o Lenilson e a dupla de ataque e seja o condutor do Brasil para as vitórias.

O discurso da direção do clube e do treinador Rogério Zimmermann é o esperado. Uma pré temporada menor que acontecia normalmente, a perda de jogadores, o tal “abismo” entre os clubes do interior e a dupla grenal e aquele blá blá blá todo. Mas que a pré temporada seria curta, sabia-se há muitos meses, desde que saiu o calendário do futebol brasileiro para 2017. Que perderíamos jogadores era certo. Que a dupla grenal tem muito mais dinheiro do que nós, é óbvio. Mas tudo isso já sabíamos e deveríamos ter pensado e planejado isso lá no ano passado e não em janeiro desse ano.

Jogamos 38 jogos contra times da Série B e não trouxemos quase ninguém de lá? A dupla grenal tem um investimento infinitamente maior que o nosso porém nós temos muito mais recursos que a grande maioria dos times do interior. Argumento de que o Cruzeiro está treinando há mais tempo do que nós não pode ser dado como uma das justificativas para uma derrota. É obrigação do Brasil ter um time melhor que o Cruzeiro, que o Passo Fundo e todos os demais. Não é menosprezar os outros times do interior, mas é o que se espera de um time que está na Série B do Brasileiro. Porém com o nosso mau planejamento, nos igualamos a eles nesse início de campeonato.

O Gauchão é curto e precisamos reagir na próxima partida. Não podemos dar sopa pro azar. É hora de muito trabalho e foco no que é importante. Temos boas peças no elenco e Rogério Zimmermann precisa faze-los jogar o quanto antes. Te vira professor.

BOLA DENTRO

Aloísio foi o destaque pelo lado do Brasil na partida de hoje. Um dos poucos lúcidos e que não entrou em desespero em busca do gol. Com um melhor preparo físico e entrosamento com o time, poderá nos dar muitas alegrias.

BOLA FORA

O entrosamento do time foi o ponto negativo na partida. Os jogadores tentam se achar e ainda não se conhecem direito. Aí vem o bago, aí vem o cruzamento lá do meio do campo e a consequência é a falta de gols.

FICHA TÉCNICA

G.E.Brasil: Eduardo Martini; Éder Sciola, Cirilo, Leandro Camilo e Marlon; Leandro Leite, Nem, Lenílson (Juninho, Rennan Oliveira), Aloísio e Jean Silva (Marcinho); Bruno Lopes. Técnico: Rogério Zimmermann.
Cruzeiro: Giovani; John Lennon, Dão, Vladimir e Sander; Ben-Hur, Reinaldo, Lucas (Tawan), Willian Kozlowski (Matheus) e Tiago Alagoano; Lukão (Raul). Técnico: Benhur Pereira.
Cartões amarelos: Rennan Oliveira, Leandro Camilo e Nem (GEB); Ben-Hur, Reinaldo e Giovani (CRU).
Gol: Lukão aos 20 minutos do 2º tempo (CRU).

ÁUDIOS

*capturados da Rádio Pelotense AM

VÍDEOS









Comentar

Nossos parceiros

?>