O tempo passa, o tempo voa

Por Marcelo Barboza

Já se passaram 19 dias desde o final do campeonato gaúcho para nós, naquele vergonhoso jogo contra o Passo Fundo, e até agora apenas um reforço foi anunciado pelo clube, o volante Itaqui. Bom nome, por sinal. Mas restam apenas 25 dias para a estreia no Campeonato Brasileiro da Série B. Ignoremos nesse meio do caminho o jogo com o Fluminense pela Copa da Primeira Liga, pois essa partida pouco influenciará em nosso planejamento.

Posso estar crítico demais em relação as contratações, mas não estamos um tanto quanto atrasados?

Com contrato fimado para a Série possuímos apenas 17 jogadores, o restante tem contrato encerrando em breve. Estamos esperando para ver quantos jogadores conseguiremos trazer para sabermos quantos dispensar?

Dizem por aí que um pacote de jogadores podem vir do Caxias e Novo Hamburgo, clubes que estão disputando as semifinais do Gauchão. Se é verdade, não sabemos. Mas é bem provável. Agora, viriam desses times jogadores realmente diferenciados à ponto de fazer o time jogar o que não jogou durante o Gauchão? Tenho lá as minhas dúvidas. E dos outros estaduais, não tem ninguém que possamos aproveitar? A Seleção do Gauchão seria o suficiente para fazermos uma boa campanha na Série B? Não temos investimento para buscarmos outras soluções? Acho que temos.

São muitas as dúvidas na cabeça dos torcedores Xavantes, e não é a toa.

O centroavante Gilmar, do Caxias, é um dos jogadores com quem o Brasil vem negociando. Esse mesmo jogador foi oferecido no final do ano pro Brasil e a resposta foi que “jogador que estava na Tailândia não interessava”. Então o Brasil foi lá e trouxe o Rennan Oliveira, da segunda divisão da Tailândia. Agora Gilmar deve pedir um salário bem maior do que seria pago lá no final do ano passado, pois o time do Caxias vem fazendo uma boa campanha no Gauchão e teoricamente o jogador está mais valorizado do que quando estava na Tailândia. Cadê a coerência e a convicção tão falada?

Porque não passamos o ano fazendo essas análises de mercado e quando os campeonatos chegam ao final não vamos lá e oferecemos uma proposta boa para esses caras? Porque agora Wagner, Pitol, Gilmar, Preto e outros servem e antes não? Porque não chegamos nesses caras e oferecemos contrato de um ano, com Série B pra jogar, com um salário melhor que os times do interior do RS? Porque isso não acontece? Será que o motivo é porque não temos um dirigente voltado para o futebol? Que é o nosso treinador que abraça tudo em relação à contratações, inclusive telefonando diretamente para os jogadores, quando era a direção do clube era que deveria fazer isso para que o treinador se preocupasse apenas em treinar o time? Depois a culpa é da curta pré-temporada, da perda de jogadores, do mercado inflacionado, e nunca do erro de planejamento e falta de firmeza nas convicções.

É muita interrogação e pouca ação.

Esperamos que em meio a esses nomes cogitados pela imprensa, tenhamos realmente algumas surpresas. Que a direção do clube mostre que estamos cagados a toa e que tenhamos respostas para as dúvidas acima citadas.

Oremos.









Attachment

Comentar

Nossos parceiros

?>