Brasil derruba o Juventude no Alfredo Jaconi

Brasil derruba o Juventude no Alfredo Jaconi
Por Marcelo Barboza

O Brasil viajou para Caxias do Sul em busca de somar pontos contra o líder do campeonato, o Juventude, sabendo que teria um jogo duro pela frente. O jogo realmente foi duro, mas mais duro ainda foi pro Juventude. Muito efetivo defensivamente, o Brasil soube aproveitar as oportunidades e venceu a partida.

Antes mesmo do apito inicial, a torcida do Brasil já estava apreensiva. A angústia era pela escalação do time. Quando a Assessoria de Imprensa do clube lançou a escalação, uma hora antes do embate, foi um burburinho. O capitão Leandro Leite pela primeira vez era reserva em um jogo do Brasil. Rogério Zimmermann resolveu manter Itaqui no time titular depois do belo jogo que ele fez contra o Vila Nova-GO na rodada passada. Marlon e Wagner voltavam de suspensão e ao time titular.

A partida começou com o Juventude comandando as ações do jogo. Em um lance de impedimento, Fahel cabeceou dentro da área e Martini fez grande defesa. O Juventude seguia chegando em chutes de fora da área, principalmente de Ramon, mas sem perigo para Eduardo Martini. O Brasil tentava escapar com lançamentos de Wagner e com a velocidade de Rafinha. E foi em uma dessas escapadas de Rafinha, aos 30 minutos, que saiu o primeiro gol do Brasil. Rafinha recebeu pela esquerda e da entrada da área bateu forte, rasteiro, em curva, no canto esquerdo de Matheus, e marcou um belo gol. O Juventude sentiu o gol e não ameaçou o gol de Eduardo Martini até o apito final do primeiro tempo.

A segunda etapa foi quente. O Brasil, com Leandro Leite no lugar de João Afonso, voltou um pouco mais fechado buscando o contra ataque. Mas foi o Juventude que marcou, aos 14 minutos. Caprini arriscou de longe, em chute rasteiro, e Eduardo Martini fez a defesa parcial. A bola foi lentamente em direção à linha de fundo mas Ramon alcançou e chutou na direção do gol. Evaldo, que chegava para tentar cortar, acabou tocando para dentro do gol. Era o empate do Juventude e a certeza que eles iriam para cima do Brasil.

Em outros dois jogos em casa, o Juventude havia saído atrás do placar e conseguiu buscar a virada. Mas o Brasil manteve o seu ótimo jogo defensivo e o Juventude não conseguiu chegar ao gol de Eduardo Martini. Aos 19 minutos Marlon cobrou falta na área e Wagner surgiu sozinho no segundo pau. O camisa 7 tocou de primeira, de baixo para cima, mas a bola subiu demais e foi por cima do gol de Matheus. Aos 26 Rafinha cobrou falta de longe, com maestria, mas Matheus mandou para escanteio. O mesmo Rafinha cobrou o escanteio no segundo pau e Leandro Camilo subiu no terceiro andar para mandar a bola para as redes. Era o Brasil novamente na frente do placar.

O Juventude se jogou para o ataque e chegou com perigo em dois chutes de Ramon. O Brasil tinha o contra ataque arreganhado. Em um deles, Wagner chegou na entrada da área mas na hora de finalizar a defesa afastou. No desespero, o Juventude não conseguiu furar o bloqueio Xavante e o Brasil levou os três pontos para Pelotas.

Com a vitória o Brasil chegou aos 14 pontos e é o quinto colocado no campeonato. A próxima partida será contra o Internacional no Bento Freitas, no próximo sábado, às 16:30h.

ANÁLISE DA PARTIDA

O jogo foi muito disputado e muito igual. Mas o diferencial para o Brasil conseguir a vitória foi a consistência defensiva. Impressionante como o Brasil se postou bem na defesa. E com a defesa bem fechada, o meio de campo recebeu mais bolas e conseguiu colocar os atacantes no jogo. Wagner e Rafinha comandaram as ações do ataque do Brasil na noite de ontem, e muito bem por sinal. A sensação do Juventude no campeonato, o centroavante Tiago Marques, não viu a cor da bola. Leandro Camilo e Evaldo não deram folga para o camisa 9 do Juventude. Foram perfeitos.

Rafinha foi o melhor em campo. Com muita velocidade e muita precisão no primeiro gol, Rafinha vem se firmando como o craque desse time. Wagner é muito habilidoso e quando tiver espaço para jogar, vai nos dar alegrias. Bruno Lopes novamente com muita volúpia tática, mas com a bola no pé ainda tá devendo. Corre uma enormidade, impressionante, mas na hora de fazer o gol ou dar a assistência, não tem sido muito feliz. Marcinho novamente entrou bem. Lincom foi importante na retenção da bola no campo de ataque, mas teve poucas chances para marcar o gol. E mais uma vez Wender foi bem na primeira etapa e cansou na segunda. Precisamos da contratação de um lateral-direito, e parece que está por vir. Eder Sciola nem lista pegou nos dois últimos jogos, parece estar fora dos planos do Rogério.

Foi uma baita vitória, com a cara do Brasil do Rogério Zimmermann. Muito bem defensivamente e cirúrgico nas oportunidade ofensivas. O time vem evoluindo, pois os melhores jogadores vêm sendo escalados. Pedimos muito isso, inclusive aqui no Blog. Tardou mas enfim parece que o professor está convicto de quem são os melhores. Futebol é assim, jogam os melhores e os demais treinam forte para buscar a titularidade. Assim se faz um grupo campeão.

E é impressionante como o Brasil vem jogando bem contra o Juventude lá no Jaconi nos últimos anos. Já podemos dizer que eles são nossos filhos jogando lá. Wagner que o diga.

Que venha o Internacional. Estamos com uma vitória sobre eles engasgada há muito tempo e a chance é sábado. Não podemos deixar passar.

Foto: Jonathan Silva/AI GEB

ÁUDIOS

*capturados da Rádio Pelotense AM

VÍDEO

Melhores Momentos – Imagens Premiere









Comentar

Nossos parceiros

?>