Deixa chover, deixa molhar…

Deixa chover, deixa molhar…
por Marcelo Barboza

Um sábado de muita chuva em Pelotas e jogo contra um adversário direto na classificação. Esse era o programa para hoje no Bento Freitas. Mesmo com toda chuva que caiu, a drenagem do Bento Freitas garantiu totais condições de jogo. Espetáculo.

O primeiro tempo foi de total domínio do Brasil. A marcação alta, no campo de defesa do CRB, fez com que o time alagoano não chegasse ao gol de Marcelo Pitol e que o Brasil criasse várias situações de gol. O primeiro gol do Brasil veio em boa jogada de Misael pela lado esquerdo. O atacante, que fazia sua estreia como titular, levou a bola para a linha de fundo, olhou para a área, viu Rafinha entrando sozinho e cruzou. O camisa 10 só teve o trabalho de cutucar de cabeça no canto esquerdo do goleiro Edson e abrir o placar na Baixada.

A segunda etapa já foi mais equilibrada, com Marcelo Pitol tendo que trabalhar. Breno errou um corte dentro da área e a bola sobrou para Neto Baiano que bateu mas Marcelo Pitol fez boa defesa com o peito. O CRB chegou novamente com perigo com Tony, que sentou um petardo de fora da área e Marcelo Pitol voou no ângulo direito para desviar o que seria o gol de empate do CRB. Uma baita defesa. O Brasil escapava nos contra ataques com Rafinha, Misael e Marcinho, e assim causava perigo pro goleiro Edson. O jogo foi chegando ao seu final e o CRB não conseguia pressionar. E em mais uma jogada individual de Misael, o atacante deu passe para Rafinha dentro da área, aos 47 minutos, e Rafinha chutou cruzado para sacramentar a vitória rubro-negra.

O Brasil foi muito superior ao CRB durante os 90 minutos de jogo. Soube se adaptar ao gramado levemente encharcado e conseguiu criar as principais chances de gol da partida. O time todo foi bem, mas alguns jogadores merecem ser citados. Pitol fez uma defesa espetacular, tirando uma bola que ia na gaveta. Muito seguro, garantiu o zero. Teco mais uma vez foi muito bem, tomou conta do Neto Baiano, que é chato pra caramba. Éder Sciola parece outro jogador, impressionante. Não é nem sombra daquele jogador inseguro e atrapalhado do Gauchão e início da Série B. Clemer não deve ter ensinado ele a jogar bola, deve ter dado tranquilidade para ele jogar.

Rafinha, que era dúvida por uma lesão no pé, carregou o Brasil pro ataque durante todo o jogo. Mesmo estando visivelmente cansado no final da partida, teve fôlego para marcar o segundo gol. Cassiano como centroavante foi uma boa surpresa. Fez muito bem o pivô e segurou a primeira linha do CRB toda a partida. Além de forte e rápido. E Misael, o garçom da partida, deu os dois passes para os gols de Rafinha. Driblador e com boa visão de jogo, foi muito bem na chuvosa tarde de sábado na Baixada.

O Brasil chegou aos 33 pontos e assumiu a 9ª colocação da classificação. A próxima partida será contra o Ceará na Arena Castelão no próximo sábado, às 19 horas. Jogo duro.

Clemer tem aproveitamento de G4. O comandante Xavante parece estar colocando o time nos eixos e dando um padrão de jogo. Hoje, mesmo sem Juninho, Itaqui e Lincom, o time foi muito consciente e soube encurralar o CRB com a marcação alta. Isso é treino. Isso é mão do treinador. A defesa deixou de ser a mais vazada do campeonato, agora o Figueirense assumiu o título.

Estamos no caminho certo. Mas o caminho ainda é duro e precisamos estar focados. Precisamos garantir a permanência na Série B. Esse é o nosso título esse ano.

Foto: Carlos Insaurriaga – AI/GEB

ÁUDIOS

*capturados da Rádio Pelotense AM

VÍDEOS

Melhores Momentos – Imagens Premiere









Comentar

Nossos parceiros

?>