Aimoré 0x0 G.E.Brasil

Xavante segura o empate e é campeão do segundo turno da Série A-2 em São Leopoldo

vs_aimore005

Xavante empata com o Aimoré e levanta a taça em São Leopoldo. Foto: Marcelo Barboza

Guerreiroooooo, Guerreirooooo, Guerreirooooooo, time de guerreiro!

O canto acima, gritado pela torcida Xavante na noite de 14 de julho de 2013 no estádio Cristo Rei, em São Leopoldo, retrata o que foi essa noite. O time do G.E.Brasil jogou com uma raça absurda. Mesmo podendo perder por dois gols para ser campeão do segundo turno, o Brasil jogou buscando a vitória e dividindo todas as bolas, no meio da lama, como se a vantagem não existisse. Enquanto se ouvia que o Brasil entregaria o jogo pelo fato de ter vencido por três a zero em Pelotas, o time foi lá e mostrou a alma Xavante em campo. Foi de encher os olhos a dedicação de cada jogador. Via-se no semblante de cada jogador que eles queriam a vitória. Ela não veio, mas veio o título com o empate em zero a zero.

Cerca de mil torcedores Xavantes estiveram nas arquibancadas do Cristo Rei. Arquibancada essa conhecida como Barranco. E nem mesmo a chuva que caiu durante toda a partida calou a torcida do Brasil. O Barranco enlameado e precário foi palco da festa da maior e mais fiel. Aos 45 minutos do segundo tempo a tela caiu. Parte da massa já comemorava na linha lateral do campo, ao lado do bandeirinha. Educadamente a torcida voltou para o seu lugar para quatro minutos depois invadir de vez e comemorar o título.

Tinha torcedor dando peixinho no gramado, outros tomando banho nas poças de água, carregando os jogadores nos ombros e fazendo a devida festa. Quando o capitão Leandro Leite levantou a taça, ela não durou mais do que dez segundos em suas mãos. A torcida “roubou” a taça e foi fazer a volta olímpica. A festa estava completa no Cristo Rei.

O sentimento ali vivido, clube grande algum jamais terá em sua vida. Não há Barcelona que compre essa paixão. Toda aquela chinelagem de dar um peixinho no barro, beijar a careca do Cirilo, pegar o Rogério Zimmermann no colo, dar a volta olímpica com a taça na mão da torcida, não há quem nos tire esse prazer. Jamais. A noite de 14 de julho de 2013 foi nossa e jamais será esquecida.

Agora vem a final contra o São Paulo de Rio Grande. Aquele mesmo, da final do primeiro turno. Está engasgado. Alô Rio Grande, estamos chegando, de novo.

Quem mandou não segurar?

FICHA TÉCNICA

Aimoré: Rafael, Alex Heber, Jésum, Luis Henrique e Alex; Luanderson, Evandro (Rodrigo Galvão), Faísca e Micael (Tôto); Jean Paulo (Maicon Santana) e Japa. Técnico: Benhur Pereira.
G.E.Brasil: Luiz Muller; Wender, Cirilo, Fernando Cardozo e Rafael Forster; Leandro Leite, Washington, Cleiton (William Kozlowski) e Canhoto (Ricardo Bierhals); Alex Amado e Eder Machado (Gustavo Papa). Técnico Rogério Zimmermann.
Data: 14/07/2013.
Local: estádio Cristo Rei, em São Leopoldo.
Horário: 18h.
Arbitragem: Leandro Pedro Vuaden, auxiliado por José Franco Filho e José Javel Silveira.
Cartões amarelos: Evandro (Aimoré); Eder Machado, Washington (Brasil).
Cartões vermelhos: Alex Heber (Aimoré).


FOTOS


VÍDEOS

Torcida Xavante no Cristo Rei

Comemoração da torcida

Matéria TV Nativa

Matéria RBS TV









Nossos parceiros

?>