ÁUDIO: Noticiário do dia

Acompanhe o noticiário do dia com as notícias do Xavante. Material produzido pela Rádio Pelotense AM.

Comentários:

Comentar este Post

ÁUDIO: Entrevista com Eduardo Martini

Na tarde dessa segunda-feira o goleiro Eduardo Martini concedeu entrevista à imprensa após o treino regenerativo que aconteceu no estádio Bento Freitas. Martini falou sobre a vitória em Itu, o próximo adversário e a recepção da torcida Xavante na chegada do time à Pelotas.

O áudio é da Rádio BraPel.

Comentários:

Comentar este Post

Grande vitória em Itu

Xavante estreia com vitória fora de casa contra o Ituano por 1 a 0.

vs_ituano001

Felipe Garcia e Cirilo comemoram o gol da vitória. Foto: Luciano Claudino/Ag. Código 19

O resultado da estreia não podia ser melhor. Vitória. E mais do que isso, vitória fora de casa contra o campeão paulista. Foi nesse cenário que o G.E.Brasil venceu o Ituano no Novelli Júnior, em Itu, na primeira partida no campeonato brasileiro da Série D por 1 a 0.

A partida não foi das mais bonitas. O Brasil com a sua eficiência defensiva soube neutralizar o time do Ituano durante os noventa minutos. Na primeira etapa os dois times criaram uma chance de perigo para cada lado. Marcelinho, meia do Ituano e melhor do time na partida, chutou uma bola da entrada da área que passou perto do gol de Eduardo Martini. Pelo lado Xavante a maior chance de gol foi de Nena. Em cobrança de escanteio o camisa 8 Washington raspou de cabeça no primeiro pau e Nena, sozinho na segunda trave, cabeceou para o chão e a bola acertou o travessão.

Na segunda etapa a partida seguiu muito equilibrada. O Ituano mal organizado e sem eficiência em seus ataques e o Brasil muito bem defensivamente saindo nos contra ataques com Alex Amado e Felipe Garcia. Até que aos 34 minutos, Rafael Forster cobrou uma falta da meia direita em direção à área e o zagueiro do Ituano raspou de leve para o seu próprio gol. Cirilo, que estava no bolo de jogadores, saiu comemorando e o juiz caiu na dele, assinalando o gol pro zagueiro Xavante, 1 a 0 pro Brasil. Depois do gol o Ituano se jogou pro ataque usando a altura do seu atacante Marcão. Mas Cirilo tomou conta do gigante e o Brasil soube segurar a vitória.

Foi uma vitória tática, ao estilo Rogério Zimmermann. É impressionante a aplicação tática do time do Brasil. A defesa foi muito bem com destaque para Ricardo Bierhals, um dos melhores da partida ao lado de Washington. Felipe Garcia marcou bastante e puxava os contra ataques, mas errava muitos passes. Aliás, não apenas Felipe Garcia, mas o time todo errou muitos passes, o que deixava Rogério Zimmermann enlouquecido à beira do campo. Mas isso é falta de ritmo de jogo. Nena segurou muito bem as bolas no ataque, distribuindo as jogadas. Quanto ao Ituano, por mais que tenha tido um desmanche após o Paulistão, eu esperava muito mais do time deles. Fraco demais.

Quanto às torcidas, a partida teve um público pagante de 907 torcedores, sendo uns 80 Xavantes. Um fiasco o público do lado do campeão paulista. Isso que a direção deles passou o jogo para o sábado para não concorrer com os jogos da Série A na televisão. Não adiantou. Do lado Xavante, um show, como sempre. XaSampa, Xasc e Xavanrio estavam nas arquibancadas. Outros torcedores de Pelotas também compareceram no Novelli Júnior. Churrascada e samba nos arredores do estádio, batucada e muito canto nas arquibancadas. O Brasil nunca joga sozinho. Ao final da partida, teve carnaval nas ruas de Itu.

Agora o Brasil tem uma semana cheia para treinar. Enfrenta a Cabofriense no Vieirão, em Gravataí, no próximo domingo às 16 horas. O jogo será em Gravataí por conta da perda de um mando de campo que o Brasil tem que cumprir em competições nacionais. É tempo para Rogério Zimmermann preparar o time para o restante da competição, recuperar Fernando Cardoso que volta de contusão e entrosar o meia Zotti, que chegou na semana passada.

FICHA TÉCNICA

Ituano: Diego, Alex (Diogo), Airton, Samuel e Júlio Lopes; Gersimar, Jackson Caucaia, Cristian (Clayson) e Claudinho; Ricardinho (Marcão) e Marcelinho. Técnico: Fahel Júnior.
G.E.Brasil: Eduardo Martini; Raulen (Ricardo Schneider), Cirilo, Ricardo Bierhals e Rafael Forster; Leandro Leite, Washington e Márcio Hahn (Wender); Felipe Garcia, Nena (Zotti) e Alex Amado. Técnico: Rogério Zimmermann.

Local: estádio Novelli Júnior, em Itu.
Horário: 15h.
Data: 19/07/2014.
Arbitragem: Wanderson Alves de Souza, auxiliado por Ricardo Vieira Rodrigues e Wesley Moreira de Carvalho.
Cartões amarelos: Airton (Ituano); Raulen, Rafael Forster, Ricardo Schneider e Eduardo Martini (Brasil).
Gol: Cirilo, aos 34min do 2º tempo (Brasil).

FOTOS

VÍDEOS

Vídeo Blog Xavante

O gol – Assessoria de Imprensa GEB

O gol – TV Ituano

ÁUDIOS
*cedidos pela Rádio Pelotense AM

 

 

Comentários:

3 Comentários

Cirilo e o imbecil

Não me contive. Andei de um lado para o outro, fui, voltei, girei, subi, desci e me fui com meu pai ao aeroporto recepcionar os Guerreiros Xavantes.

Sei que não ganhamos nada, que é apenas a primeira partida, mas também por isto. Além de ter sido uma vitória contra um clube com muito mais condições, campeão paulista deste ano e tudo mais, nos dá uma maior tranquilidade neste início de competição. Já começamos gordinhos.

Fizemos questão de cumprimentar um a um os atletas e os demais membros da comissão técnica. Acho que ficaram um pouco surpresos. Não esperavam nos ver ali. Valeu a pena. Fizeram por merecer.

Pena que a segunda apresentação não será em casa, como deveria. Fico imaginando o Caldeirão fervendo depois desta vitória. Não apenas em decorrência da vitória, mas de toda a excelente campanha que vem sendo feita nestes últimos meses, ano. Não tem como a Torcida não estar empolgada. Depois de décadas, temos um time, temos padrão de jogo, somos competitivos. Paramos de ganhar por acaso. Jogamos e ganhamos com convicção.

E porque não nos apresentaremos em casa? Por causa de um, dois ou sei lá quantos imbecis – que se acham, mas são apenas imbecis – que não conseguem conviver em sociedade. Até quando teremos que aguentar isto? Até quando teremos que pagar pelos atos de meia dúzia, se tanto, de abobados? Já pararam para pensar no prejuízo do clube? Viagem, hotel, alimentação, etc., isto sem considerar o que deixaremos de faturar na bilheteria.

A pergunta que não quer calar: o imbecil vai se oferecer para pagar o prejuízo? Cuspir no bandeirinha, pular a tela para bater no juiz, soltar rojões nos pés do adversário, jogar pedra na torcida adversária, tudo isto é muito simples e fácil de fazer. Não requer nenhuma qualificação ou preparo e nem coeficiente de inteligência. Como bem podemos observar, basta ser imbecil. Difícil mesmo é assumir a responsabilidade pelos atos e arcar com as consequências. Aí precisa ser homem. Acho que não vai rolar.

Aposto que este mesmo imbecil xingou o Cirilo a exaustão, quando ele falhou no Bra-Pel do ano passado. Deve ter dito de tudo um pouco. Provavelmente pediu a saída do Cirilo do time e até do clube. A diferença é que o imbecil errou de forma despropositada e hoje se esconde, no sdeixando como prejuízo. Já o Cirilo errou tentando acertar e hoje estamos felizes porque acertou.

E assim é a vida. Uns trabalham, se esforçam e fazem acontecer. Se tropeçam, levantam a cabeça e voltam à luta. Já outros, além de não produzirem, atrapalham.

Abs.


Ivan Schuster
Onda Xavante

Comentários:

2 Comentários

Agora é as ganhas

blog-xavante

E teve Copa. Não levando em conta os 7 x 1 contra a Alemanha e o consequente fracasso da nossa selecinha, correu tudo bem. Como de costume, ainda mais em ano de eleição, a grande imprensa nacional propagou o caos para debitar na conta no governo federal. O tiro saiu pela culatra e agora está tendo que engolir o estrondoso sucesso. Sucesso fora e dentro de campo. Dentro de campo, não lembro de outra copa com jogos tão bons e com tanta emoção. Fora dele, a Copa das Copas está registrada na história.

Mas isto agora é passado. Vai começar o que realmente interessa a nós Xavantes, a Série D do Campeonato Nacional. O nosso caminho para a felicidade. A nossa chance de sair da mediocridade local e voltarmos para as competições nacionais.

Sei que muitos vão dizer que é soberba, que isto ou aquilo. Mas a verdade é que o GEB é um dos poucos clubes do interior do Rio Grande do Sul, se não o único, que reúne condições de participar com efetividade de competições nacionais. E isto tem uma explicação simples. Temos torcida e temos identidade própria. Em poucas palavras, dependemos apenas de nós mesmos. Não precisamos de gigolô para viver. Conosco o peido é seco.

Uma prova disto é o trabalho que vem sendo desenvolvido pela atual direção. E vou me deter apenas ao que se refere diretamente ao futebol. Nunca na história do GEB houve um momento com uma preparação da forma como vem sendo feita. Comissão técnica e time base prestigiados e mantidos por mais de uma temporada, e não aquela loucura de dispensar e contratar a cada intervalo entre as competições. A tão desejada e propagada sequência de trabalho. O diabo não é esperto porque é diabo, mas porque é velho.

Vai começar o que realmente interessa a nós Xavantes, a Série D do Campeonato Nacional.

O que todos sabiam e sempre sonharam está sendo feito. E por que? Pelo simples fato da diretoria ter um suporte chamado “mais de 5.000 sócios em dia”. Esta é a diferença. Nós fizemos e somos a diferença. E só um clube no interior do RS tem esta força e é capaz disto: o nosso Xavante! Sei que existem um ou dois outros clubes com um quadro de associados significativos. Mas também é verdade que funcionam como clubes sociais, com piscinas, salão de festas, etc. O que o GEB oferece é um produto único: o orgulho de ser Xavante! Chora e aprende secador. É bom ser Xavante!

Se vamos ser campeões, se subiremos para a Série C, não sei. Futebol não é ciência exata. Acho que nem ciência é, quanto mais exata. O que sei é que o caminho é este. Quadro forte de associados, diretoria com os pés no chão, planejamento, sequência de trabalho, time comprometido e apoio da Torcida nas arquibancadas. O sucesso é questão de tempo e a nossa hora está chegando.

Neste sábado começará a nossa temporada de apresentações para o segundo semestre. Chega de ensaio, que rufem os tambores. Estou ansioso, nervoso e angustiado. Mas animado. Acho que dá. Tem que dar. Vai dar! Prá cima deles, Xavante!

Abs.


Ivan Schuster
Onda Xavante

Comentários:

1 Comentário
Noticias sobre desporto