Brasil joga bem mas perde para o Vasco

Brasil joga bem mas perde para o Vasco

Jogando no estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, o Brasil enfrentou o Vasco da Gama e perdeu pelo placar de 2 a 0. Os gols da partida foram marcados por Nenê e Luan. O Brasil fez uma boa partida mas não aproveitou as muitas chances de gols que criou.

O JOGO

O Brasil foi até o Rio de Janeiro para enfrentar o líder da Série B sem Eduardo Martini e Marcos Paraná. A grande dúvida era quem jogaria no lugar de Paraná. Rogério Zimmermann escolheu o volante Nem. No gol, Luiz Muller substituiu Eduardo Martini. A partida começou equilibrada, com o Vasco insistindo nas bolas aéreas e a defesa do Brasil muito segura. Mas o Vasco não demorou muito para marcar o seu primeiro gol. Em uma bola aérea lançada para o ataque carioca, Teco tentou ganhar no corpo de Thales mas o atacante vascaíno foi mais esperto e raspou de cabeça. A bola caiu no pé de Nenê que botou a bola na frente e chutou de bico no canto direito de Luiz Muller, sem chances para o goleiro Xavante. A partir daí as melhores chances de gol foram do Brasil.

Com Nem cobrindo a subida do lateral-direito do Vasco, Ramon jogou como centroavante e conseguiu criar boas jogadas em contra ataques junto com Felipe Garcia. O grande lance do primeiro tempo pelo lado rubro-negro foi pela direita, com Weldinho. Nem acertou um belo lançamento para o lateral Xavante que chegou até a linha de fundo e cruzou. Felipe Garcia chutou de primeira e a bola bateu no zagueiro Rodrigo, na canela do zagueiro Luan e na trave. No rebote, a bola caiu nos pés de Ramon, que já sem goleiro, só tinha o trabalho de tocar para dentro. Mas o atacante Xavante resolveu dominar antes de tocar para dentro, dando tempo para Luan chegar por trás e afastar a bola de carrinho. Inacreditável.

Mesmo com o gol incrivelmente perdido, o Brasil seguiu no ataque. No final do primeiro tempo, Felipe Garcia puxou contra ataque e passou para Ramon que, da entrada da área, chutou e Jordi tirou com o pé esquerdo. Seria o gol do empate.

No segundo tempo o Brasil voltou bem para a partida, mas insistindo nos cruzamento para a área. Em um deles, Marlon colocou a bola na cabeça de Felipe Garcia que furou a cabeçada na pequena área. O Brasil seguia insistindo na bola aérea mas ninguém aproveitava dentro da área. Então Rogério Zimmermann começou a mexer no time. Clébson entrou no lugar de Nem e Nena no lugar de Ramon. Mas foi só Nena entrar no time que as bolas cruzadas na área pararam. Na única bola que chegou pelo alto, em cobrança de escanteio, Nena raspou de cabeça para fora. O Vasco pouco ameaçava o gol de Luiz Muller. Mas foi em uma bola parada que o Vasco matou o jogo. Nenê cobrou falta na área e Luan, sozinho, tocou de primeira com o pé direito para dentro do gol. O Brasil ainda chegou com perigo em cabeçada de Felipe Garcia, mas o gol de honra não saiu.

Com a derrota o Brasil seguiu na sétima posição com 22 pontos. A próxima partida é no sábado, às 16 horas, no Bento Freitas, contra o Vila Nova-MG.

ANÁLISE

O Brasil fez um bom jogo, encarou o Vasco de igual para igual. Perdemos para o líder da competição. Os gols do Vasco foram marcados por Nenê, um dos melhores jogadores atuando no país, e pelo zagueiro Luan, convocado para a Seleção Olímpica. Mas o grande problema do Brasil foi o mesmo de outros jogos fora, a dificuldade de fazer os gols. As chances foram criadas mas a bola não entrou. Ramon perdeu um gol imperdível. Em outras chances criadas, faltou alguém dentro da área para concluir. Dos treze primeiros times do campeonato, o Brasil é o único que possui saldo negativo de gols. Mais levou do que marcou gols. E isso que possuímos a terceira melhor defesa do campeonato. O grande problema é botar a bola pra dentro, principalmente nos jogos fora de casa. Nos jogos em casa Felipe Garcia tem resolvido. Mas essa carência já é conhecida pelo professor Rogério. O que não podemos é demorar tanto para trazer esse(s) atacante(s).

No meio-campo nossos volantes seguem marcando bem e junto aos zagueiros formam um bom sistema defensivo. O problema é com a bola nos pés. Eles acertam apenas os passes laterais e para trás. Os passes para frente, os lançamentos, os passes que dão fluência ao jogo, normalmente acabam nos pés dos adversários. Talvez a tal evolução tão citada pelo professor Rogério tenha chegado no limite nesse quesito com os nossos volantes. Talvez testar Marcão e Nem nessas funções seria uma alternativa.

Mas a campanha do Brasil segue sendo muito boa. Mesmo ainda não vencendo fora, jogando em casa somos muito fortes. Nossos adversários não são aqueles bichos de sete cabeças. Nosso foco de permanecer na Série B deve ser mantido. É vital para a saúde do clube. Para isso devemos seguir firmes e fortes no trabalho diário. Trabalhando forte, podemos evoluir e buscar novas metas na Série B.

Vale salientar a grande presença da torcida Xavante em São Januário. Cerca de 200 torcedores apoiaram o time na partida desse sábado. Um espetáculo. Sempre, a maior e e mais fiel.

FICHA TÉCNICA

Vasco: Jordi, Madson, Rodrigo, Luan, Julio César, Marcelo Mattos, Henrique (Yago Pikachu), Andrezinho (Diguinho), Nenê, Caio Monteiro (William) e Thales. Técnico: Zinho.
G.E.Brasil: Luiz Muller, Weldinho, Leandro Camilo, Teco e Marlon, Leandro Leite, Washington, Nem (Clébson) e Felipe Garcia, Diogo Oliveira (Nathan) e Ramon (Nena). Técnico: Rogério Zimmermann.
Local: Estádio São Januário, Rio de Janeiro.
Horário: 18:30h.
Gols: Nenê aos 9′ do 1º tempo e Luan aos 27′ do 2º tempo (VAS).
Cartões Amarelos: Weldinho, Marlon e Washington (GEB); Madson, Rodrigo, Andrezinho e Nenê (VAS).

VÍDEO

Melhores Momentos – Imagens PFC









Comentar

Nossos parceiros

?>