Na estreia em casa, a vitória não veio

Na estreia em casa, a vitória não veio
Por Marcelo Barboza

Em busca de uma boa apresentação na sua estreia em casa no Campeonato Brasileiro da Série B, o Brasil enfrentava o Londrina, equipe que também havia perdido na primeira rodada. Com todos os reforços à disposição do treinador Rogério Zimmermann, a espera era por ver quais deles seriam titulares.

E lá pelas 18:30h a escalação foi liberada e podemos ver que quatro substituições foram feitas em relação ao time que havia perdido em Campinas para o Guarani. Teco, poupado por conta do choque de cabeça que teve no jogo com o Guarani, deu lugar à Leandro Camilo. Na lateral-direita Wender substituía o irregular Éder Sciola, e no meio de campo que vieram as mudanças menos esperadas. Elias e Rafinha entraram no lugar de Nem e Juninho. Wagner, o último a chegar na Baixada, estava no banco de reservas. Lenílson nem lista pegou.

A partida começou com o Brasil tentando abafar o Londrina, mas o time paranaense jogava no contra ataque e soube segurar o impeto Xavante nos minutos iniciais. Em jogadas de escanteios e cobranças de laterais no ataque do Brasil, eram chances de contra ataques muito bem aproveitadas pelo Londrina, chegando com muita rapidez ao ataque. Mas na primeira etapa as principais chances de gol foram do Brasil. Chutes de fora da área assustaram o goleiro Zé Carlos com João Afonso e Elias.

E em um desses ataques, em cobrança de lateral dentro da área, Rodrigo Silva desviou de cabeça e Rafinha dominou na barriga já ajeitando para chutar ao gol, mas Ítalo meteu o braço na bola e o juizão marcou pênalti. Rodrigo Silva foi para a cobrança e deslocou o goleiro, batendo rasteiro no canto direito de Zé Carlos. Era o primeiro gol de Rodrigo Silva com a camisa do Brasil. Ainda no primeiro tempo, em contra ataque, o Londrina chegou na cara do gol com Elton, mas o meio-campo chutou para fora.

Na segunda etapa o jogo foi parecido com o primeiro, porém o Brasil com menos intensidade. O Londrina chegou ao gol de empate logo aos sete minutos. Em uma saída de bola onde Marlon passou apertado para Elias, o Londrina roubou a bola e Elton cruzou na área onde Jonatas Belusso e Leandro Camilo dividiram e a bola encobriu Eduardo Martini e Marlon não conseguiu tirar a bola antes de ultrapassar a linha. Era o gol de empate do time paranaense. A partir dali o Brasil foi um misto de nervosismo e cansaço. Mesmo com as substituições, o Brasil chegou poucas vezes ao gol de Zé Carlos. A melhor delas foi em uma grande jogada de Rafinha com Marlon, onde o lateral passou para Elias na entrada da área. Elias bateu de primeira e Zé Carlos deu rebote nos pés de Wender, que entrava voando na área, mas acabou chutando por cima. O Londrina foi cozinha o jogo e assim acabou a partida, 1 a 1.

ANÁLISE DA PARTIDA

O Brasil melhorou bastante em relação ao Gauchão, sem dúvida. A bola fica mais no chão, o time troca mais passes. Porém ainda é muito pouco para um time que quer jogar a Série B. Por mais que muitos jogadores praticamente fizeram a sua estreia hoje, o time ainda parece um amontoado de jogadores. O time parece mal treinado, essa é a verdade.

Na defesa, Wender passa mais segurança do que Éder Sciola, mas no segundo tempo ele cansou e tomou um sufoco do garoto Arthur, de 19 anos. É muita volúpia e vontade, mas ainda falta qualidade. A dupla de zaga foi um dos pontos positivos hoje. Evaldo foi um dos melhores em campo. Na primeira etapa não errou nenhum bote. Leandro Camilo voltou a ser titular e deu muito menos balão do que vinha fazendo no Gauchão. E pela esquerda Marlon parece meio travado. Não dá para saber se é físico ou se acabou a pilha dele mesmo. Precisa melhorar bastante.

E hoje o maior problema do Brasil foi em frente a sua área. O Londrina chegava com muito perigo nos contra ataques e pelo meio do campo. João Afonso e Leandro Leite subiam a marcação quando o time atacava e na recomposição erma lentos. Dessa forma os dois zagueiros ficaram mano a mano diversas vezes com os meias e atacantes do Londrina. Sorte nossa que a dupla de zaga estava bem. O nosso capitão deve ter chegado ao seu limite técnico e físico. Como está mal. Com a bola no pé nunca foi dos melhores, mas na marcação caiu demais. Ele corre, corre, corre e não da uma chegada no adversário, rouba pouquíssimas bolas. João Afonso tem o dobro de roubadas de bola do que Leandro Leite nessa Série B. Mas já sabemos que pode chover canivete que o capitão não deixará o time titular. É a tal convicção.

Na armação do time, Elias e Rafinha eram quem comandavam o ataque. Rafinha muito bem. Participativo e com muita qualidade, criou boas chances de ataque. Elias recebia mais bolas que Rafinha porém perdia mais também. Na primeira etapa o Londrina chegou três vezes com perigo após Elias perder a bola no ataque. Mas Elias não foi mal, buscou o gol e arriscou alguns chutes de fora da área. Wagner fez a sua estreia mas pouco pode fazer, o jogo já estava feio quando ele entrou. Algumas vezes tenta puxar um ataque e o time estava todo na defesa. E novamente tivemos uma dupla de ataque inoperante. Bruno Lopes tem muita disposição porém aparece pouco no jogo. Volta para marcar mas chega pouco perto do gol. Ele tem mais jeito de camisa 9 do que jogador de lado de campo. E Rodrigo Silva foi bem no jogo aéreo mas pouco efetivo na hora de uma tabela, de uma troca de passes. E na segunda etapa ele estava morto de cansado. Ainda precisamos achar uma solução para o ataque. E ela não parece estar no banco de reservas.

Precisamos ainda contratar, principalmente no ataque. Lincom, que a imprensa disse estar contratado ainda não apareceu. Parece que Gustavo Papa irá renovar o seu contrato, que já terminou, até o final do ano. Sobre isso é melhor nem comentar. O certo seria trazer mais dois atacantes, um lateral-direito e um volante para ser titular. Mas o nosso presidente disse que não tem dinheiro por culpa da torcida. Então meus amigos, vamos colocar o nosso Xavante em nossas orações. Vai ser bruto.

A próxima partida será daqui há 10 dias, contra o Goiás em Goiânia. Goiás, lanterna da Série B com duas derrotas.

FICHA TÉCNICA

G.E.Brasil: Eduardo Martini, Wender, Leandro Camilo, Evaldo e Marlon; Leandro Leite, João Afonso (Itaqui), Rafinha (Marcinho) e Elias; Bruno Lopes (Wagner) e Rodrigo Silva. Técnico: Rogério Zimmermann.
Londrina: Zé Carlos; Lucas Ramon, Silvio (Luizão), Matheus e Igor Miranda; Ícaro, Jardel e Celsinho (Rafael Gava); Artur, Jonatas Belusso e Elton Martins (Safira). Técnico: Claudio Tencati.
Gols: Rodrigo Silva aos 35′ do 1ºT (GEB) e Jonatas Belusso aos 7′ do 2ºT (LON).
Cartões amarelos: Wagner (GEB), Ícaro e Safira (LON).

ÁUDIOS

*capturados da Rádio Pelotense AM

VÍDEOS

Melhores momentos – Imagens SporTV









Comentar

Nossos parceiros

?>